A plataforma Alimente quem o alimenta, lançada há cerca de um mês, já reúne mais de mil produtores e teve mais de cem mil interações com potenciais compradores, anunciou a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque.

Ministra da Agricultura

Ao intervir na cerimónia de apresentação do mercado online Prove Viseu Dão Lafões, a ministra lembrou que a criação desta plataforma teve como objetivo aproximar os produtores dos consumidores, de forma a minimizar os efeitos da pandemia da Covid-19. «Já tivemos mais de cem mil interações, sabendo que mais de 30 mil chegaram ao fim de toda a cadeia. Só ainda não sabemos, mas estamos a fazer esse trabalho de auscultação junto dos produtores, dessas 32 mil interações que chegaram ao fim quem é que verdadeiramente comprou», afirmou.

Através desta plataforma lançada pelo Ministério da Agricultura, qualquer produtor poderá anunciar os seus produtos e cabazes disponíveis para entrega, e qualquer consumidor poderá pesquisar por concelho e por produtos (biológicos ou não) e encomendá-los.

Maria do Céu Albuquerque falava durante a apresentação do mercado, que pretende ser «um acelerador para a transformação digital» das micro, pequenas e médias empresas da região, apoiando os produtores locais no escoamento dos seus produtos a nível nacional.

A governante disse não ter dúvidas de que este tipo de relacionamento entre produtores e consumidores veio para ficar. «Cabe a todos nós fazermos com que esta forma de comércio digital possa, cada vez mais, servir o nosso país, nomeadamente as regiões mais rurais, com menor densidade populacional e, com isso, sermos capazes de alimentar a economia local, regional e familiar, essencialmente, valorizar aquilo que é nosso», frisou.

O secretário executivo da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, explicou que, mesmo antes da Covid-19, já havia a intenção “de um dia lançar este mercado online’. «Vivemos um tempo diferente e houve necessidade de acelerar todo o processo», afirmou o responsável, justificando que a CIM e os seus parceiros neste projeto não podiam ficar indiferentes às dificuldades de escoamento dos produtores locais e à oportunidade criada com o aumento das vendas online.

O mercado ‘online’ Prove Viseu Dão Lafões tem disponíveis «mais de uma centena de referências de artigos», entre os quais se destaca o queijo Serra da Estrela, o vinho do Dão, os enchidos, o chá, o mel e os licores. «Vamos entrar hoje com quase duas dezenas de produtores que se associaram a esta plataforma e temos mais cerca de duas dezenas prontos para entrar», frisou Nuno Martinho.

Com a expectativa alta, há já a «ambição de evoluir», estando prevista, por exemplo, a promoção de cabazes de Natal, avançou.

FONTE: Lusa