A Associação de Produtores de Mirtilo da Mesopotâmia Argentina (APAMA) celebrou o acordo entre a UE e o Mercosul, que permitirá a partir da sua entrada em vigor a exportação de mirtilo para a Europa sem taxas em alguns países.

Atualmente, a exportação argentina de mirtilos paga taxas entre 3% e 9%, dependendo do país de destino. Com a entrada em vigor do acordo, na maioria dos países a taxa será eliminada e, nos restantes, serão reduzidas em pelo menos 50%.

A APAMA antecipou também que há uma forte possibilidade dos produtos fitofármacos importados diminuam as taxas que pagam para entrar no país, bem como a importação de máquinas de embalamento e colheita.

Estima-se que, se a negociação prosseguir, o acordo entraria em vigor em cerca de dois anos, e a redução ou taxas nulas já influencia a colheita de 2021/2022.