A empresa Flores Pendulares, Lda, propriedade do grupo dinamarquês Schroll-Flowers, produz 36 hectares de hortênsias no concelho de Olhão e exporta milhões de plantas para o Norte da Europa, Canadá, Japão e Coreia do Sul. O clima do Algarve foi o principal atrativo para este investidor se instalar na região, mas os picos de calor nos meses de verão obrigam a cuidados redobrados com as plantas.

Schroll-Flowers

Para garantir a produtividade e a qualidade das hortênsias, a Flores Pendulares usa redes de sombreamento e um biofilme inovador da Tecniferti. «O HumigelPlus A forma uma camada protetora na página superior das folhas das hortênsias, evitando que transpirem demasiado e percam água. Com a aplicação deste biofilme as plantas conseguem aguentar os picos de calor, entre as 11h e as 16h, sem danos nas folhas», reconhece Eduardo Vicente, técnico de campo da Flores Pendulares.

O HumigelPlus A da Tecniferti é um produto à base de argilas derivadas do caulino, ricas em dióxido de silício, que atuam como uma barreira física e refletora da luz, protegendo as culturas das queimaduras solares (vulgo escaldão). Distingue-se de outros produtos à base de caulino pela sua prolongada adesão às folhas das plantas, mesmo quando é usada rega por aspersão na cultura. O silício fortalece a estrutura celular da planta, tornando-a mais resistente a pragas e stresse hídrico.

O grupo Schroll-Flowers é um dos maiores produtores e obtentores de variedades de hortênsias da Europa e está instalado no Algarve há cerca de 7 anos, onde detém duas quintas, em Quelfes e em Moncarapacho. Graças ao clima da região produz ao ar livre durante 365 dias por ano e obtém um desenvolvimento mais rápido das plantas do que na Dinamarca, onde estas demoram mais tempo a atingir o tamanho ideal para venda.